Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

30.Jul.20

Um lindo dia na vizinhança

O pior cego
     A história de um jornalista que tem de entrevistar uma personalidade da televisão americana. Poucos de nós, no nosso cantinho, devemos conhecer Fred Rogers. Muito famoso nos Estados Unidos da América pelo seu programa enquanto Mr. Rogers. Eu sei que antes de ouvir falar do filme, eu não o conhecia.      Goste-se ou não deste tipo de filmes. Goste-se ou não da história. O que é certo é que todos temos algo a aprender com Mr. Rogers. Era uma pessoa sempre alegre, sempre (...)
28.Jul.20

Um misto de nostalgia e aborrecimento

O pior cego
     Estou de férias e por isso voltei à cidade que me viu nascer. Uma cidade pequena, no interior que pouco ou nada tem para fazer. Ficaram amigos, ficaram familiares e apesar da pandemia não resisto. Já passaram demasiados meses sem os ver e as saudades começam a apertar. Aproveito uns dias de férias e após um curto confinamento voluntário regresso aquela que devia ser a minha casa. Já não é. Passaram demasiados meses. Demasiados anos. Já não é a minha casa. Esta já (...)
26.Jul.20

À pressa

O pior cego
     Estou a escrever este texto à pressa porque tenho de o publicar hoje, sem falta. Não pode esperar por amanhã, é demasiado importante. Não importa sequer a pontuação ou os possíveis erros ortográficos ou gramaticais. Estou a escrever este texto à pressa porque tenho de sair. Tenho de ir às compras a correr. Não posso demorar mais de 30 minutos porque depois tenho ainda de fazer o jantar. Não pode passar de hoje. Depois de jantar ainda tenho de passar a roupa a ferro e (...)
22.Jul.20

Uma forma de desligar

O pior cego
     Interagir com outras pessoas nunca foi fácil para mim. Ter o à vontade de estar a falar com alguém, de partilhar o que penso e o que sinto nunca me pareceu natural. Menos ainda quando sinto que ninguém quer saber. E torna-se pior quando vejo que as poucas pessoas que ouvem, não compreendem. Por isso fecho-me e fico sozinho. Escrevo e guardo, ou por vezes nem isso. Tento encontrar actividades que possa fazer sozinho. Actividades em que ninguém me vá incomodar. Mesmo assim, (...)
18.Jul.20

Fiz uma aula de yoga

O pior cego
     Hoje fiz uma aula de yoga. Nunca gostei deste tipo de coisas mas hoje decidi experimentar. Sempre achei que fosse impossível ter tantos beneficios como os que são anunciados nos videos que via na internet. Seja meditação, yoga ou qualquer outra acção que seja publicitada com tantos beneficios sem esforço só pode ser engano, mas ainda assim decidi experimentar.      Tenho-me apercebido ao longo dos tempos do quanto desligados do mundo todos andamos. Olhava para todas as (...)
12.Jul.20

Chove lá fora

O pior cego
     Chove lá fora. Vejo um clarão seguido de um estrondo. A minha mente perde-se por momentos nos cálculos de infância - então, se a velocidade da luz.. e a velocidade do som.. isso quer dizer que a trovoada... - Mas rapidamente volto à realidade.      Chove lá fora. Vejo um clarão seguido de um estrondo. A água escorre junto à estrada e sou de novo relembrado da minha infância - as brincadeiras que eu inventava quando tinha de ficar fechado em casa por estar a chover.. (...)
30.Jun.20

Só para ti

O pior cego
     Estas palavras são só para ti.      Tu que estás a ler este texto.      Escrevo para ti e mais ninguém.      Agora que todos querem ter milhares de seguidores, gostos, visualizações, eu só quero que tu leias este texto e mais ninguém.      Não o partilhes, nem sequer o voltes a ler.      Se ao leres esta palavra. Sim, esta mesmo. Ou a próxima. Em qualquer uma. Se ao leres esta palavra te aperceberes do que tens de fazer neste momento, vai faze-lo.   (...)
23.Mar.17

9 Dias - Corrida

O pior cego
     Quando me surgiu a ideia para este post tentei correr por entre as páginas da internet e, como sempre acontece, todo parecia acontecer em câmara lenta. Não devo ter demorado mais de 2 minutos a chegar a esta página e a começar a escrever mas pareceu uma eternidade. Com a correria de pensamentos que tenho a todo o instante, tinha de me apressar, antes que este fugisse. Tive de me apressar antes que algo que por segundos julguei importante o suficiente para partilhar me fugisse (...)
17.Mar.17

15 Dias - Mais um

O pior cego
     Durante a escola nunca se destacou. Nem para o bem nem para o mal. Era bom aluno o suficiente para ninguém se preocupar, mas não era bom o suficiente para ser diferente.      Durante a faculdade seguiu o mesmo percurso. Fez o curso sem chumbar a demasiadas cadeiras. Cumpriu o programa e saiu sem que mais de um ou dois professores soubessem sequer o seu nome.      Na empresa onde trabalhou durante mais de trinta anos também cumpriu o que era sua responsabilidade. Subiu o (...)
13.Mar.17

19 Dias - Devagar

O pior cego
     A minha estante pequena cresce devagar. Um livro de cada vez, por vezes apenas quatro ou cindo por ano. Eu leio bastante, mas entre maus livros e ficções, absorvo o que é real, devagar. Os meus conhecimentos crescem, devagar.      Demoramos demasiado a crescer. A eternidade que dura um dia de escola, a eternidade que dura um período até por fim termos férias. Quando queremos crescer o tempo passa demasiado, devagar.      Na faculdade, uma espécie de inicio da vida (...)