Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

21.Mai.19

O post-it

     Procurava por todo o lado e não encontrava.

     Desde há muito tempo que tinha ganho o hábito de escrever em post-its para não se esquecer de nada. As listas de compras colava-as na carteira para saber se tinha tudo antes de pagar. Os títulos dos videos que queria ver mais tarde colava-os no computador para no dia seguinte estarem mesmo à sua frente. Tarefas das quais não se podia esquecer estavam coladas ao telemóvel por ser dos objectos para os quais mais olhava. Pequenos poemas estavam espalhados pelas paredes do seu quarto. Curiosidades e até frases de motivação podiam ser encontradas por toda a casa. Algumas receitas simples estavam no frigorifico e algumas outras em papeis todos salpicados de óleo estavam perto do fogão. Viam-se papeis coloridos a espreitar por entre as páginas dos diversos livros que tinha espalhados em cima da secretária e nas estantes.

     A sua vida era repleta de quadrados de todas as cores cheios de palavras e desenhos mas tinha-se esquecido de onde tinha metido um deles. Não conseguia lembrar-se do que tinha escrito nesse pequeno pedaço de papel amarelo (sabia que era amarelo porque foi dos primeiros que escreveu, ainda antes de descobrir que existia um arco-iris de possibilidades). De certeza que era algo de que se tinha esquecido e por isso tinha de o encontrar depressa. Mas lá estava ele, bem dobrado no meio do seu livro preferido, sem sequer poder dar utilidade à cola já gasta. Escrito com uma letra miudinha e cheia de curvas que a tornavam dificil de compreender, num papel que estava a perder a cor nos vincos de tanto ser desdobrado e voltado a dobrar leu algo de que era preciso ser relembrado:

"Sê feliz"