Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

11.Jul.20

Hoje não me apetece escrever

     Está demasiado calor. O verão chegou e a praia chama por mim. Pego num livro mais ligeiro e deixo aquele livro desafiante no escuro do meu quarto. Há meses que o estou a tentar acabar, mas hoje nem lhe vou tocar. A preguiça causada por este tempo está a chegar até mim e eu deixo.

     Com o livro numa mão e a toalha noutra vou até à praia onde está demasiada gente para me sentir confortável. Deito-me um pouco a apanhar sol. Viro-me e ao fim de poucos minutos acabo por desistir. Sento-me a tentar ler um pouco. Acabo a primeira página e mudo de posição. Mais uma página e tento mudar novamente. Mais uma página e fecho o livro. As crianças a brincar, os adolescentes a partilhar a sua música com a praia toda, as familias a aproveitar o bom tempo para estarem novamente ao ar livre, sem restrições aparentes. Todo este barulho é demais para mim. Pego nas minhas coisas e volto para casa.

     Em frente ao computador volto a rever o meu dia. Em frente a um ecrã branco que me ofusca a visão volto a pensar no que fiz hoje. Tento lembrar-me das horas a que me levantei, do que almocei, do que fiz de útil e nada. Em frente ao teclado tento fazer finalmente algo que considere produtivo. Tento escrever algo. Não importa o quê. Só importa conseguir passar algumas palavras para esta folha em branco e não sai nada. Hoje foi um dia não. Não consegui ler, não consegui fazer nada de produtivo. Hoje não me apetece sequer escrever. Amanhã volto a tentar!

1 comentário

Comentar post