Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

18.Jul.20

Fiz uma aula de yoga

     Hoje fiz uma aula de yoga. Nunca gostei deste tipo de coisas mas hoje decidi experimentar. Sempre achei que fosse impossível ter tantos beneficios como os que são anunciados nos videos que via na internet. Seja meditação, yoga ou qualquer outra acção que seja publicitada com tantos beneficios sem esforço só pode ser engano, mas ainda assim decidi experimentar.

     Tenho-me apercebido ao longo dos tempos do quanto desligados do mundo todos andamos. Olhava para todas as pessoas à minha volta e criticava o quão dependentes do telemóvel estavam e ultimamente tenho-me apercebido de que eu estou igual ou pior. Ao acordar, antes mesmo de sair da cama, verifico as notificações que tenho. Mesmo quando não há algo novo a chamar por mim abro uma das aplicações, sem pensar, e fico vários minutos a olhar para coisas das quais não me vou sequer lembrar depois do banho. Até no elevador, numa descida de menos de 1 minuto em que não tenho qualquer conexão, todas as manhãs, ainda meio a dormir tiro o telemóvel do bolso inconscientemente só para me distrair. Sim, cheguei ao ponto em que não consigo estar 1 minuto aborrecido.

     Resolvi dizer basta! Não sei se vai resultar. Tão pouco apaguei as aplicações ou decidi nunca mais as abrir. Qualquer resolução demasiado dramática está destinada ao fracasso. Mas para mim chega. Vou tentar reduzir o meu consumo de internet e das milhentas aplicações nas quais todos estamos viciados e para isso resolvi procurar ajuda na internet. Eu apercebo-me da ironia da situação, mas porque não usar o problema contra ele mesmo?

     Quase todas as recomendações são semelhantes. O truque é estar mais presente. O segredo é pensar no agora e esquecer o resto. Não ter medo de estar sozinho ou de pensar. Deixar que os pensamentos fluam. E para isso temos de usar ferramentas como a meditação e a verdade é que estes vinte minutos de yoga souberam bem. É como meditar, mas com movimento. Talvez não seja a solução para todos os males. Talvez até nem resolva nada, mas se passar vinte minutos por dia afastado do telemóvel já é um começo e senti-me bem melhor depois. Se tem alguma hipotese de ajudar, porque não experimentar?