Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

O pior cego

Não, não quero ver, por isso fujo para mundos meus de leitura, filmes, series e agora também de escrita.

12.Jul.20

Chove lá fora

     Chove lá fora. Vejo um clarão seguido de um estrondo. A minha mente perde-se por momentos nos cálculos de infância - então, se a velocidade da luz.. e a velocidade do som.. isso quer dizer que a trovoada... - Mas rapidamente volto à realidade.

     Chove lá fora. Vejo um clarão seguido de um estrondo. A água escorre junto à estrada e sou de novo relembrado da minha infância - as brincadeiras que eu inventava quando tinha de ficar fechado em casa por estar a chover.. - Mas rapidamente volto à realidade.

     Chove lá fora. Vejo um clarão seguido de um estrondo. Depois de um dia de verão incrível, veio esta trovoada, normal com a chegada do calor, já anunciada pelos meteorologistas. Faz-me lembrar do inverno e ter saudades. Sim, hoje tenho saudades do inverno. Dos dias em que está frio. Dos dias em que chove. Dos dias em que podemos ficar em casa, aconchegados, sem a pressão constante de ter de aproveitar o dia. Hoje tenho saudades do inverno e de poder estar sozinho sem sentir a necessidade de sair e apanhar sol.

     Chove lá fora e sou lembrado de uma frase que ouvi à pouco tempo ("Aquilo para que olhas importa, mas não tanto como a forma como olhas ou com quem olhas") e, apesar de ser verão, para mim hoje é inverno.

     Hoje chove lá fora, mas também chove cá dentro.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.